AO VIVO

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Resumão da UEFA Champions League

Nestas duas semanas tivemos os jogos de ida da fase de oitavas-de-final da UEFA Champions League. O que chamou a atenção, foram o grande número de visitantes vencendo as partidas de ida.

Vamos ao resumo rápido dos jogos

Manchester City x Barcelona

A tradição do Barcelona contra um adversário em evolução, que chegava pela primeira vez a fase de oitavas-de-final da competição. Os torcedores dos Citizens acreditavam que seria possível fazer um bom resultado e ir com uma boa vantagem para a volta. 
É, mas o Barcelona mostrou que para o City o superar, seria muito difícil. Os primeiros 15 minutos foram de intenso domínio dos blaugranas, que jogaram o típico futebol barcelônico. Com posse de bola, o time treinado por Tatá Martino, não deixou o City jogar. Por outro lado se justifica essa ineficiência dos citizens, já que Manuel Pellegrini mudou seu estilo de jogo. Tirou um dos atacantes para colocar mais um meia. Negredo estava solitário no comando de ataque e pouco pode fazer.

Apesar do dominio em maior parte do primeiro tempo do Barcelona, o City conseguiu chegar algumas vezes, mas sem muito perigo.

No segundo tempo, veio o punhalada no City. Navas tenta simular uma falta, o árbitro não marca e Fàbregas lançou Messi em velocidade, que foi derrubado fora da área por Demichellis, que acabou expulso no lance. Pra azar do time da casa, o árbitro deu pênalti. Messi, bateu e fez, 1-0.

O City lutou com um a menos, mas a qualidade o Barcelona acabou prevalecendo. E no final da partida, saiu a pancada final. Passe maravilhoso de Neymar e gol de Daniel Alves, 2-0.


Bayer 04 x Paris Saint-Germain

Na Alemanha, show de Ibrahimovic. Com dois gols do sueco, o parisienses golearam os aspirinas em plena a BayArena, em Leverkusen. 
Mas não foi Ibra quem abriu o placar. Matuídi foi que abriu o caminho da vitória dos milionários de Paris. Após combinação com Verratti, Matuídi só tirou do goleiro Leno e empurrou a bola pro fundo do gol.
Depois começou o show do sueco, com dois gols Ibrahimovic assumia a liderança na artilharia da UEFA Champions League. O segundo uma pintura de fora de área, num chutaço de canhota. 
No segundo tempo, Cabaye fechou o caixão dos aspirinas, após passe de Lucas, o novo contratado do time de Paris pegou de primeira e fez um bonito gol.


Arsenal x Bayern Munique


O melhor jogo dessa fase, apesar da vantagem Bávara, o jogo foi muito equilibrado, principalmente no primeiro tempo, quando o Arsenal foi pra cima do Bayern e pressionou demais o atual campeão da UEFA Champions League. O Arsenal teve a grande chance em um pênalti, cobrado por Özil e defendido por Neuer. O Bayern também teve um pênalti a seu favor. Robben foi derrubado por Szczesny dentro da área. O goleiro dos londrinos foi expulso e Alaba acabou perdendo o penal.
Mas ainda no primeiro tempo, Rafinha cruzou na cabeça de Tomas Müller que abriu o marcador em London. 
A partir daí começou o show de Tony Kroos. O camisa 39 foi o maestro do time da Baviera no segundo tempo. Inclusive marcando um golaço e dando mais uma grande vantagem ao time de Pep Guardiola.

AC Milan x Atlético de Madrid


Também um jogo equilibrado. O Milan foi melhor no primeiro tempo. Kaká e Balotelli estavam inspirados e criando chances em cima de chances, inclusive com bola na trave. 
Mas o ex-brasileiro Diego Costa foi o carrasco rossonero e marcou o único gol da partida.


Zenit x Borussia Dortmund


Os russos estavam a mais de 2 meses sem disputar uma partida oficial, já que no mundo russo os campeonatos param por conta do inverno rigoroso.
E com menos de 5 minutos, o Borussia Dortmund abriu 2-0 pra cima dos russos, aproveitando a falta de ritmo de jogo. Daí por diante foi troca de gols., o Zenit descontava, o Borussia na sequência marcava mais uma. O Zenit descontava, e o BVB marcava e terminou 4-2, com destaque para Lewandowski que marcou 2 gols. Marco Reus e Henrikh Mkhitaryan marcaram para os aurinegros


Olympiacos x Manchester United



Galatasaray x Chelsea


Um dos poucos jogos em aberto nessa fase. O Chelsea era o favorito para esse confronto, mas do outro lado reencontrava nada mais nada menos que Didier Drogba. Mas foi o time de Londres quem saiu na frente. Jogada pela esquerda e gol de Fernando Torres. Aliás, esse gol foi o único marcado por ingleses nesta fase, já que Arsenal, City e Manchester United perderam sem fazer gols. 
Mas o Galatasary empatou no segundo tempo, após cruzamento de Sneijder, o zagueiro Chedjou foi que marcou.

Schalke 04 x Real Madrid


Já era esperado uma vitória do Real Madrid na partida de ida, mas não do jeito que foi. Apesar do resultado, o Schalke fez um primeiro tempo parelho contra os galácticos, inclusive com uma grande chance criada e defendida pelo goleiro Iker Casillas, após cabeçada de Höwedes. Só que toda vez que o Real Madrid chegava, era caixa. Foi assim quando Bale e CR7 tabelaram e a bola sobrou para Karim Benzema abrir o marcador, 1-0. Esse gol deu uma broxada no time de Gelsenkirchën. Logo na sequência já veio o segundo gol, de Bale, que fez belíssima jogada individual e chutou no canto de Fährmann, 2-0.
O detalhe é que a maioria das situações de gol do Real era de erros da defesa do Schalke. Felipe Santana fez um partida pra esquecer, já que o segundo gol do Real, originou-se de um erro do zagueiro.
O segundo tempo seguiu no mesmo ritmo, toda vez que o Real chegava, era gol. Faltava o do melhor do mundo, Cristiano Ronaldo pedalou pra cima de Höwedes de soltou um chute potente de canhota, cruzado sem chances para o goleiro do Schalke. 
Ainda tentando entender o que rolava na Veltins Arena, o Schalke seguia vacilando na saída de bola. O 4 gols saiu de um tabelamento de CR7 e Benzema, com o francês passando pelo goleiro e empurrando a bola pro fundo do gol. Ronaldo e Bale fecharam o caixão dos azuis reais, que ainda descontaram com Huntelaar, num golaço da meia lua da entrada da grande área.


QUER VER AS CRÔNICAS MAIS DETALHADA DOS JOGOS? ACESSE O EUROPA FOOTBALL BR, clicando AQUI

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Olympiacos abre boa vantagem contra o Manchester

Em Pireu, o Olympiacos venceu o Manchester United e conseguiu uma grande vantagem para o jogo de voltaem Old Trafford.  Com essa derrota, os Diabos Vermelhos que tinham o sonho de conquistar uma vaga na próxima Champions via título da mesma, vai ter que se desdobrar para reverter esse placar.

O JOGO
Como todos os jogos do Manchester United vem sendo, esse não foi diferente. Foi sofrível. Em alguns jogos, o time de Moyes conseguia vencer, mesmo não jogando nada, claro sempre contando sempre com o talento de seus jogadores, exemplo o jogo contra o Crystal Palace.

Primeiramente, Moyes já escalou seu time de forma errada. Mais uma vez optou por Ashley Young no time titular. Desde o tempo de Sir Alex Ferguson, o Young não rende aquilo que rendeu um dia no Aston Villa e fez o Manchester United desembolsar mais de 18 milhões de libras nele. Hoje mais uma vez, ele começou no 11 inicial do time de Manchester. Apesar da maior posse de bola no jogo, o Manchester United deu apenas 1 CHUTE no gol em 45 minutos. Com Rooney e van Persie no time, dois dos melhores finalizadores do mundo, o time finalizar apenas uma vez, é um problema muito grave. 
Não se discute a qualidade desses jogadores, quando a bola chega em condições pra eles, costuma sempre sair coisa boa. Mas quando o time depende de Young e Valencia para criar jogadas, você percebe porque o time finalizou apenas uma vez no primeiro tempo.

Os números da posse de bola, apontavam um "domínio" do Manchester United, mas quem viu o jogo percebeu que essa posse de bola era mentirosa. Esse alto número de posse de bola, se justificou porque os defensores do United ficavam trocando passes esperando alguém buscar a bola com eles para iniciar uma jogada. Cleverley que seria o jogador pra fazer isso, não fez. 

O Olympiacos aproveitou essa fragilidade, principalmente defensiva, do Manchester United para fazer seu jogo. Muito centralizado em Alejandro Dominguez, os gregos jogaram sob o comando do argentino, que não teve marcação no setor de meio campo. Ele tinha um grande corredor entre as intermediárias para criar chances de gol, sem contar que Campbell pela direita e Hernán Pérez, pela esquerda, eram outras opções do time treinado pelo espanhol Michel.

Michel foi bem consciente na estratégia para essa partida. Deu liberdade ao seu jogador mais técnico e no seu setor defensivo, marcação dupla nos principais jogadores do United, Rooney e van Persie. Com esses jogadores praticamente fora de jogo, a bola ficava com Valencia e Young, que não sabiam o que fazer com ela.

Um lance chamou a atenção na metade do primeiro tempo, quando Dominguez pegou a bola na intermediária defensiva e com um grande corredor avançou até dentro da área do Manchester. O lance iniciou em um escorregão de Smalling e como o time se posicionava para "atacar", pegou toda a defesa desarrumada. Ferdinand foi superado com facilidade pela velocidade do argentino, que só parou em Vidic, que fez a cobertura e travou o chute de Dominguez.

O lance do gol do Olympiacos reflete bem o momento do time. Numa jogada em que todos jogadores de frente do Olympiacos estavam bem marcados, o que é raro na defesa do United, um chute despretensioso de Maniatis, desviou em Dominguez, matou De Gea e a bola foi pro fundo do gol, 1-0.

Ali você via toda a desorganização do time do técnico David Moyes. Não teve legado da era de 27 anos de Alex Ferguson. Parece que os jogadores eram movidos somente pela presença do maior técnico do futebol inglês no banco de reservas. Ele não estando ali, jogadores parecem perdidos. 

O intervalo chegou e a estatística registrou apenas um finalização certa do time de Moyes. Como escrevi no começo do texto, Moyes sempre escala errado e as vezes não apenas os 11 iniciais, ele consegue errar nos 18 relacionados para o jogo. Adnan Januzaj, que foi destaque do time nas ausências de Rooney e RvP, sequer ficou no banco de reservas. Ele, junto com Kagawa poderiam ser o diferencial na criação desse time. 

Moyes voltou com o mesmo time do primeiro tempo e ali, se imaginava que o que estava ruim, iria piorar. E foi o que aconteceu. O Olympiacos voltou pro segundo tempo formatado para o contra ataque. Campbell e Perez abertos e Oilatan se movimentando confundiam essa defesa do United. 

O segundo gol do time grego foi uma pintura. Campbell recebeu na meia direita, se livrou da marcação e quando Carrick se aproximava para dar o bote, o costarriquenho deu uma caneta espetacular no camisa 16 dos diabos vermelhos. Na sequência do lance, Campbell levantou a cabeça, viu o posicionamento de De Gea e chapou bonito de fora da área, longe do alcance do camisa 1, 2-0.


Parecia sonho para o gregos conseguir essa grande vantagem em cima de um time como o Manchester United. Moyes que escalou errado, mexeu errado também. Ele tirou Valencia do time para colocar Kagawa. A entrada do japonês não se discute, mas talvez deixar o Valencia como lateral teria sido a decisão mais plausível de Moyes. Mas ele deixou Smalling no time. A outra foi a entrada de Welbeck no lugar de Cleverley. A tentativa com isso, era que Rooney viesse buscar o jogo e levar com qualidade a bola a RvP. 

A grande chance do United no segundo tempo, foi em uma jogada de Smalling, que jogou a bola de qualquer maneira pra área. van Persie transformou o tijolo em bola no domínio, mas na hora da finalização, baixou o espirito do Smalling no camisa 20 que isolou a bola e a oportunidade do United deixar em aberto o confronto.

Ainda há chances do time vermelho de Manchester reverter o placar, mas é muito difícil. Não pelo adversário, que dentro de suas possibilidades é muito mais organizado que o United, mas sim pelo próprio Manchester, quem não consegue ter organização para jogar uma partida contra um adversário fraco. 
O time de Moyes vai precisar fazer o que não fez até aqui na temporada, jogar bem.



Ouça os gols do jogo, com a narração de Rodrigo de Oliveira e comentários de Ângelo Andrade


Ficha técnica do jogo


































































































































2
Golos marcados
0
45
Posse de bola(%)
55
12
Total de tentativas
7
8
Remates à baliza
4
4
Remates para fora
3
3
Remates defendidos
3
0
nos postes
0
1
Cantos
4
0
Foras-de-jogo
3
0
Cartões amarelos
2
0
Cartões Vermelhos
0
10
Faltas cometidas
11
9
Faltas sofridas
9
501
Passes tentados
709
346
Passes completos
540


olympiacos

Olympiacos

man. united

Man. United

16Roberto (GR)1De Gea (GR)
2Maniatis (C)3Evra
Yellow Card3
8N'Dinga5Ferdinand
Yellow Card90
17Peréz
Substitution86
10Rooney
20Holebas12Smalling
24Manolas15Vidić (C)
25Marcano16Carrick
26Campbell
Goal55
Substitution67
18Young
30Leandro Salino20Van Persie
35Domínguez
Goal38
Substitution76
23Cleverley
Substitution60
99Olaitan25Valencia
Substitution60
suplentes
42Megyeri (GR)13Lindegaard (GR)
5Paulo Machado
Substitution76
11Giggs
14Samaris14Hernández
18Valdez
Substitution86
19Welbeck
Substitution60
19David Fuster
Substitution67
26Kagawa
Substitution60
21A. Papadopoulos28Büttner
88Bong31Fellaini
Treinadores
Míchel (ESP)David Moyes (SCO)
Árbitro
Gianluca Rocchi (ITA)